“Como você mede sua vida?”

Hoje teremos a participação especial! a partilha de um jovem católico de Taiwan. No texto ele faz uma comparação de como “medir a nossa vida” e o meio católico. Há também um pouco de “cálculo” pois ele também ensina matemática no país do Oriente. É interessante observar, como nosso irmão asiático vive a sua fé. Obrigado Yao por partilhar conosco este texto

“Preço é o que você paga. Valor é o que você recebe.”

– Warren Buffett

Se eu lhe dissesse que há 2000 anos atrás, a Bíblia já nos contou sobre como investir em suas vida. Você acreditaria nisso?

Poucos meses atrás, eu tive um monte de dificuldades na minha vida. Eu estava pensando o que aconteceu com ela. Como posso superar isso? Naquele tempo, eu chamo os problemas de Variantes ! (De Estatística).

Na verdade, não há uma solução em um curto espaço de tempo. Mesmo que você não possa ver o final do túnel (não é uma história de fantasmas) mas eu acredito em um tempo maior, podemos ver mais claramente. E por que eu menciono sobre “investimento” ? Isto é Católico (Oi, Jean –Claude – estudante da ESM Manila )?

Em nossa vida, eu acho que o dom mais precioso é o nosso “tempo”. E para nós é tão fácil de viciarmos em nosso trabalho. Por quê? Porque obviamente nele temos crescimento em um tempo muito curto. Ou a sua pontuação em uma prova exame, por um outro lado , é difícil vê-lo a fazer um avanço em um curto espaço de tempo . Mas como eu disse, em um longo prazo, podemos ver o valor como eu colocá-lo dentro

tempo

Você pode ler este livro “Como você mede sua vida? ” Para cavar mais sobre esta idéia, eu também gostaria de compartilhar outra idéia com você:

“Há alguns anos atrás a sabedoria convencional considerou que um jornal, televisão ou propriedade de revista poderiam para sempre aumentar seus lucros em 6% ou mais, por ano e iriam fazê-lo sem o emprego de capital adicional, pela razão de que as amortizações seria aproximadamente correspondentes as despesas de capital e trabalhar as necessidades de capital seria bem menor. Portanto, reportaram o lucro (antes da amortização de intangíveis) e também os ganhos de livre distribuição, o que significava que a posse de uma propriedade de mídia possa ser interpretado como semelhante a possuir um conjunto de anuidade perpétua para crescer a 6% ao ano. Diga, em seguida, que uma taxa de desconto de 10% foi utilizado para determinar o valor presente do fluxo de que ganhos. Pode-se então calcular que era apropriado para pagar uma gritante $ 25 milhões para uma propriedade com salário atual de pós-impostos de US $ 1 milhão.

 

(Este multiplicador após impostos de 25 se traduz em um multiplicador sobre o lucro antes de impostos de cerca de 16). “

Ok como é que Warren Buffett calculá-lo? Simples, deixe-me explicar-lhe.

yao

 Ps.NPV(10%,1.00,1.06,….41.35)

 

Ah ….. o que é que isto quer nos dizer? Isto significa que, mesmo no mercado de ações, nós não podemos ver o valor das ações. Nós temos que calculá-lo por 8 anos. Apenas 1 ou 2 anos não é suficiente.

bolsa de valores

Bem, talvez você ache que não é uma idéia católica. Mas eu estou tentando explicar. “2000 anos atrás, nós já sabíamos o que é a verdade.” Eu uso este exemplo pois é muito importante, porque eu acredito que é o caminho certo para olhar para a vida de um ser humano, (É mais atrativo para as pessoas e é fácil para evangelizar. Nós podemos compreender a beleza da fé por outras coisas.)

Por fim, Me desculpo pelo o meu Inglês pobre.

Então, como você mede sua vida? Que Deus nos abençoe. 

Texto de : Yao Hsien Hsieh – Taiwan

DSCF2306

 

Pax et Bonum

Publicado em Internacional ESM | Marcado com , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Festa litúrgica da Divina Misericórdia

Jesus misericórdia

Realidade em toda a Igreja

A Festa da Misericórdia ocupa um lugar privilegiado entre todas as formas de devoção à Divina Misericórdia reveladas à Santa Faustina Kowalska. Já na primeira ocasião em que Jesus lhe falou sobre a Divina Misericórdia, em 22 de fevereiro de 1931, Ele pediu à Santa Faustina: “Eu desejo que haja a Festa da Misericórdia. Quero que essa Imagem, que pintarás com o pincel, seja abençoada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa, e esse domingo deve ser a Festa da Misericórdia. Desejo que os sacerdotes anunciem esta Minha grande misericórdia para com as almas pecadoras (Diário de Santa Faustina, 49-50).

Na oitava da Páscoa de 1933, Jesus fez mais um pedido à Santa Faustina: “Na minha Festa ‒ na Festa da Misericórdia ‒ percorrerás o mundo inteiro e trarás as almas que desfalecem para fonte da Minha misericórdia. Eu as curarei e fortalecerei” (Diário, 206). No ano seguinte (1934), Jesus fez uma promessa:“Aquele que, nesse dia, se aproximar da Fonte da Vida, alcançará perdão total das culpas e das penas” (Diário, 300).

Durante muito tempo, Santa Faustina rezou e ofereceu os seus sofrimentos e mortificações na intenção do Papa, para que a Festa da Misericórdia fosse instituída em toda a Igreja (cf. Diário, 341 e 368). Enquanto isso não acontecia, ano após ano, no primeiro domingo após a Páscoa, Faustina celebrava essa Festa interiormente, em seu coração, conforme o desejo do Senhor. Em uma dessas ocasiões, no ano de 1935, logo após a santa Missa, a Santa participava de uma adoração ao Santíssimo Sacramento, quando, em uma visão, Jesus lhe disse: “Essa Festa saiu do mais íntimo da Minha Misericórdia e está aprovada nas profundezas da Minha compaixão. Toda alma que crê e confia na Minha Misericórdia irá alcançá-la”(Diário,  420).

No ano seguinte (1936), Jesus esclareceu: “Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Nesse dia, estarão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximarem da fonte da Minha Misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia, estão abertas todas as comportas Divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate. (…) A humanidade não terá paz enquanto não se voltar à fonte da Minha Misericórdia (Diário, 699).

O que aconteceu até a aprovação dessa Festa?

A instituição da Festa da Misericórdia encontrou, desde o início, muitas dificuldades. Muitos diziam que não era necessário instituí-la, porque já existia a Festa da Ressurreição. Outros diziam que Igreja não tem o costume de destacar somente um dos atributos divinos. Outros, ainda, rejeitavam as visões particulares da Irmã Faustina, considerando essas visões exageradas.

O Padre Miguel Sopocko, confessor da Santa Faustina, escolhido pelo próprio Jesus para ajudá-la a realizar a Sua vontade (cf. Diário 263), teve muito trabalho para convencer os dignitários eclesiásticos da necessidade de incluir a Festa da Misericórdia no calendário litúrgico. A própria irmã Faustina, falecendo em 1938, não chegou a ouvir a notícia sobre a sua aprovação.

Após muitas tentativas, quando parecia estar tudo se encaminhando para a aprovação, o Padre Sopocko recebeu um duro golpe: no ano de 1958, a Santa Sé, por meio do Santo Ofício, baixou um Decreto, baseado em documentos incompletos e inexatos, que condenava essa nova forma de culto. Esse Decreto foi substituído, no ano seguinte, por uma Notificação, de caráter disciplinar, que proibia a difusão da devoção à Divina Misericórdia nas formas propostas por Santa Faustina.

Essa proibição se prolongou por 20 anos e terminou no dia 15 de abril de 1978, quando, à pedido do cardeal Karol Wojtyla, de Cracóvia (Polônia), a Santa Sé retirou a proibição, deixando o caminho livre para a abertura da causa de beatificação da Irmã Faustina e para a aprovação da Festa da Misericórdia. Seis meses depois (16 de outubro de 1978), esse cardeal foi eleito Papa, assumindo o nome de João Paulo II. Mais tarde ele publicou a encíclica Dives in Misericordia (Rico em Misericórdia), um riquíssimo documento que lançou as bases doutrinárias para o culto da Divina Misericórdia.

João Paulo II tornou-se não somente um propagador do culto à Misericórdia Divina, mas também, através de sua vida, deu ao mundo testemunho do Amor misericordioso de Deus. Foi João Paulo II, também, quem canonizou Santa Faustina em 30 de abril de 2000, no 1º domingo após a Páscoa, ou seja, no domingo da Festa da Misericórdia. Na mesma ocasião, ele declarou que a partir daquele ano a Festa da Misericórdia seria incluída no calendário litúrgico.

Por fim, em 05 de maio de 2000, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, na pessoa do Cardeal Jorge Medina, emitiu um novo decreto, muito aguardado por milhares de devotos de Jesus misericordioso em todo o mundo: o documento Misericors et Miserator Dominus que instituiu em toda a Igreja a Festa da Misericórdia no primeiro domingo depois da Páscoa. Assim se concretizou o desejo de Jesus manifestado à Santa Faustina em diversas ocasiões.

 

Por que a Festa deve ser celebrada na oitava da Páscoa?

Jesus recomendou que a Festa da Misericórdia fosse celebrada no primeiro domingo após a Páscoa, dentro da oitava da Páscoa. E essa data não poderia ser outra, pois há um profundo sentido teológico e uma estreita união entre a celebração do mistério Pascal da Redenção e o mistério da Divina Misericórdia.

Entre as razões que convenceram o Padre Sopocko da importância dessa Festa, estão os Sacramentos do Batismo e daPenitência como continuidade da Redenção. O primeiro domingo após a Páscoa costumava ser chamado de Domingo in Albisdevido as vestes brancas usadas por oito dias pelos neófitos (novos cristãos) que eram batizados na Vigília Pascal. A Instituição da Festa da Misericórdia no domingo in Albis nos revela a grandeza da Misericórdia Divina que nos foi concedida nobatismo. No primeiro Domingo depois da Páscoa também se lê e comenta o Evangelho sobre a instituição do Sacramento da Penitência ou Reconciliação. Ao exigir a Festa na oitava da Páscoa, Jesus nos revela que a maior manifestação da Divina Misericórdia se dá no Sacramento da Reconciliação.

 

Essa Festa deve ser preparada por uma novena

Jesus disse à Santa Faustina: “Desejo que, durante estes nove dias, conduzas as almas à fonte da Minha misericórdia, a fim de que recebam força, alívio e todas as graças de que necessitam nas dificuldades da vida e, especialmente, na hora da morte. Cada dia conduzirás ao Meu Coração um grupo diferente de almas e as mergulharás nesse oceano da Minha misericórdia. Eu conduzirei todas essas almas à Casa de Meu Pai. (…) Nada negarei àquelas almas que tu conduzirás à fonte da Minha misericórdia. Cada dia pedirás a Meu Pai, pela Minha amarga Paixão, graças para essas almas” (Diário, 1209).

Presente de Deus para os nossos dias

A Festa da Misericórdia é um verdadeiro presente de Deus. É a última tábua de Salvação (cf. Diário, 687, 965, 1228). Nesse dia, a Igreja concede aos fiéis indulgência plenária. Para bem celebrar essa Festa e alcançar a indulgência, Jesus pediu coisas bem simples: confissão, comunhão e a veneração confiante da Imagem de Jesus misericordioso. Pediu também ação ‒ obra de misericórdia ‒ para derramar graças sobre graças (cf. Diário, 742).

Não podemos desperdiçar tão grande chance. Seja, você também, um divulgador dessa Festa. Faça tudo para que ela aconteça em sua vida, em sua família e em sua comunidade. Caso a Festa ainda não seja celebrada em sua paróquia, de forma delicada, converse com o Pároco. Se encontrar dificuldade: como Santa Faustina reze, não desista e, no tempo oportuno, a Misericórdia de Deus triunfará. Uma linda Festa da Divina Misericórdia para todos!

Pe. André Lach

Diretor do Apostolado da Divina Misericórdia

Texto extraído de : http://www.misericordia.org.br

Pax et Bonum

 

Citação | Publicado em por | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

“Ressurreição”

EVANGELHO: João 20,1-9

madalena

 “Feliz foi Maria Madalena que foi a primeira a ver ao Senhor”

No primeiro dia que se seguia ao sábado, Maria Madalena foi ao sepulcro, de manhã cedo, quando ainda estava escuro. Viu a pedra removida do sepulcro. Correu e foi dizer a Simão Pedro e ao outro discípulo a quem Jesus amava: Tiraram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde o puseram! Saiu então Pedro com aquele outro discípulo, e foram ao sepulcro. Corriam juntos, mas aquele outro discípulo correu mais depressa do que Pedro e chegou primeiro ao sepulcro. Inclinou-se e viu ali os panos no chão, mas não entrou. Chegou Simão Pedro que o seguia, entrou no sepulcro e viu os panos postos no chão. Viu também o sudário que estivera sobre a cabeça de Jesus. Não estava, porém, com os panos, mas enrolado num lugar à parte. Então entrou também o discípulo que havia chegado primeiro ao sepulcro. Viu e creu. Em verdade, ainda não haviam entendido a Escritura, segundo a qual Jesus devia ressuscitar dentre os mortos.

Paz et Bonum

Publicado em Igreja | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

“Bendita Árvore da Cruz”

“Bendita árvore da Cruz”

"Porque pela Vossa santa cruz remistes o mundo"

“Porque pela Vossa santa cruz remistes o mundo”

Tu ó Cruz, és minha máxima riqueza.

É em Ti que eu encontro prazer. 
Viver aos teus pés, suspirar por Ti.
Dormir o sono suave, desprendido sobre Ti.
Mergulhar nos teus mistérios, tornar-te conhecida e amada
Gloriosa Santa Cruz.
Por Ti eu encontrei o céu, permita-me ao túmulo descer.
Abraçado em Ti, o árvore bendita, ó Bendita Árvore da Cruz.
Por causa do Reino feliz, feliz da eterna luz.
Infinita bondade, e única verdade, penhor da salvação.

Toca de Assis

Pax et Bonum

Publicado em Música | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Alma Missionária / Alma Misionera / Missionary Soul

Alma Missionária / Alma Misionera / Missionary Soul

Senhor, toma a minha vida nova antes que a espera desgaste anos em mim. Estou disposto ao que queiras não importa o que sejas Tu chamas-me a servir.

Leva me aonde os homens necessitem Tua palavra, necessitem de força de viver. Onde falte a esperança onde tudo seja triste simplesmente por não saber de ti.

Te doy mi corazón sinsero para gritar sin miedo lo hermoso que es Tu amor. Señor, tengo alma misionera, cunduceme a la tierra que tenga sed de ti.  

Leva me aonde os homens necessitem Tua palavra, necessitem de força de viver. Onde falte a esperança onde tudo seja triste simplesmente por não saber de ti.

Humans singing your love in glory, trough every nation preaching the greatness of your name… My feet and my heart will be restless my lips will say your gospel, my pray will be my swear. 

Leva me aonde os homens necessitem Tua palavra, necessitem de força de viver. Onde falte a esperança onde tudo seja triste simplesmente por não saber de ti.

Pax et Bonum

Publicado em Música | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

“We are one body, one body in Christ”

Tema da 6° Jornada Mundial da Juventude realizada na cidade de Denver, USA, 1993.

“Nós somos um corpo, um corpo em Cristo; Nós não estamos sozinhos; Nós somos um corpo, um corpo em Cristo; e Ele veio para que tenhamos vida!”

Este é um resumo da fé católica.

Refrain (sing twice after verses 4 and 6)
We are one body, one body in Christ;
and we do not stand alone.
We are one body, one body in Christ;
and he came that we might have life.

1. When you eat my body and you drink my blood,
I will live in you and you will live in my love.
When you eat my body and you drink my blood,
I will live in you and you will live in my love. 

2. Can you hear them crying, can you feel their pain?
Will you feed my hungry, will you help my lame?
See the unborn baby, the forgotten one,
they are not forsaken, they are not unloved. 

3. I am the Way, the Truth, the Life, I am the Final Sacrifice,
I am the Way, the Truth, the Life; 
he who believes in me will have eternal life.
I am the Way, the Truth, the Life, I am the Final Sacrifice,
I am the Way, the Truth, the Life; 
he who believes in me will have eternal life.
(to Verse 4)

4. I have come, your Savior, that you might have life,
through the tears and sorrow, through the toils and strife.
Listen when I call you, for I know your need,
come to me, your shepherd, for my flock I feed. 

5. At the name of Jesus ev’ry knee shall bend;
Jesus is the Lord and he will come again.
At the name of Jesus ev’ry knee shall bend;
Jesus is the Lord and he will come again. 

6. On the rock of Peter, see my Church I build.
Come receive my spirit, with my gifts be filled.
For you are my body, you’re my hands and feet.
Speak my word of life to ev’ryone you meet.

Pax et Bonum

Publicado em Música | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Salmo 111

Recebi esta passagem de uma amigo que muito estimo; nesta passagem vemos toda o amor, misericórdia e compaixão que Deus tem por nós. Mesmo nos momentos difícies , Deus é sempre conosco!

Deus nos escuta e sabe o que é bom para nós, save o que precisamos e ainda mais, atende aos nossos pedidos!

1272841858567_f

Salmo 111

Louvai ao SENHOR. Louvarei ao SENHOR de todo o meu coração, na assembléia dos justos e na congregação.
Grandes são as obras do Senhor, procuradas por todos os que nelas tomam prazer.
A sua obra tem glória e majestade, e a sua justiça permanece para sempre.
Fez com que as suas maravilhas fossem lembradas; piedoso e misericordioso é o Senhor.
Deu mantimento aos que o temem; lembrar-se-á sempre da sua aliança.
Anunciou ao seu povo o poder das suas obras, para lhe dar a herança dos gentios.
As obras das suas mãos são verdade e juízo, seguros todos os seus mandamentos.
Permanecem firmes para todo o sempre; e são feitos em verdade e retidão.
Redenção enviou ao seu povo; ordenou a sua aliança para sempre; santo e tremendo é o seu nome.
O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; bom entendimento têm todos os que cumprem os seus mandamentos; o seu louvor permanece para sempre.

Pax et Bonum

Publicado em Igreja | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário