” A ressurreição de Lázaro “

Esta é uma das poucas vezes em que vemos um Jesus bem humanizado, compadecido pela morte do seu amigo Lázaro. A morte do amigo também foi doloroso a Jesus.

Ele se compadeceu das irmãs de Lázaro e chorou junto com elas. Ele sofreu por seu amigo. Quanto amor ele tinha por seu único amigo. Não temos informações de como esta amizade começo mas sabemos que Jesus amava muito Lázaro e sua família. Verdadeira amizade

A ressurreição de Lázaro para nós é também uma ressurreição espiritual, de uma nova vida. Deixar a vida velha, deixar nossos vícios e tudo aquilo que nos afasta de Deus. Desamarrar tudo que nos prende a escuridão!. Seguir o caminho de Jesus que veio para nos libertar e nos dar a vida a vida eterna. Ele quer que nos ressuscitamos com Ele e junto a Ele dia a dia. Deixar o homem velho para se tornar o homem novo!

Que nos possamos diariamente remover a pedra que nos prende a nossa escuridão.

Sim Senhor, Eu creio!, Ressuscita-me!

A ressurreição de Lázaro (João 11,3-7.17.20-27.33b-45)

Naquele tempo, as irmãs de Lázaro mandaram dizer a Jesus: “Senhor, aquele que amas está doente”.

Ouvindo isto, Jesus disse: “Esta doença não leva à morte; ela serve para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela”.

Jesus era muito amigo de Marta, de sua irmã Maria e de Lázaro. Quando ouviu que este estava doente, Jesus ficou ainda dois dias no lugar onde se encontrava. Então, disse aos discípulos: “Vamos de novo à Judéia”.

Quando Jesus chegou, encontrou Lázaro sepultado havia quatro dias. Quando Marta soube que Jesus tinha chegado, foi ao encontro dele. Maria ficou sentada em casa. Então Marta disse a Jesus: “Senhor, se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido. Mas mesmo assim, eu sei que o que pedires a Deus, ele te concederá”. Respondeu-lhe Jesus: “Teu irmão ressuscitará”. Disse Marta: “Eu sei que ele ressuscitará na ressurreição, no último dia”. Então Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que morra, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá jamais. Crês isto?” Respondeu ela: “Sim, Senhor, eu creio firmemente que tu és o Messias, o Filho de Deus, que devia vir ao mundo”.

Jesus ficou profundamente comovido e perguntou: “Onde o colocastes?”

Responderam: “Vem ver, Senhor”. E Jesus chorou. Então os judeus disseram: “Vede como ele o amava!” Alguns deles, porém, diziam: “Este, que abriu os olhos ao cego, não podia também ter feito com que Lázaro não morresse?” De novo, Jesus ficou interiormente comovido. Chegou ao túmulo. Era uma caverna, fechada com uma pedra. Disse Jesus: “Tirai a pedra!”

Marta, a irmã do morto, interveio: “Senhor, já cheira mal. Está morto há quatro dias”. Jesus lhe respondeu: “Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus?” Tiraram então a pedra. Jesus levantou os olhos para o alto e disse: “Pai, eu te dou graças porque me ouviste. Eu sei que sempre me escutas. Mas digo isto por causa do povo que me rodeia, para que creia que tu me enviaste”.Tendo dito isso, exclamou com voz forte: “Lázaro, vem para fora!”

O morto saiu, atado de mãos e pés com os lençóis mortuários e o rosto coberto com um pano. Então Jesus lhes disse: “Desatai-o e deixai-o caminhar!”

Então, muitos dos judeus que tinham ido à casa de Maria e viram o que Jesus fizera, creram nele.

Pax et Bonum

Publicado em Igreja | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

“O construtor sábio e o tolo”

O construtor sábio e o tolo – (Mateus 7,21.24-27)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas sim aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática é semelhante a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha. Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as põe em prática é semelhante a um homem insensato, que construiu sua casa na areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela caiu e grande foi a sua ruína”.

Pax et Bonum

Publicado em Animações | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

“A ovelha perdida”

É muito engraçado a imagem que as pessoas possuem de Deus; Um Deus rancoroso, que sempre julga seus filhos ou ainda, que existe apenas para nos punir!!!. Te digo o contrário, Deus em sua profunda existência é a base do mais puro amor e compaixão por nós. Não nos julga, não nos castiga, não nos maltrata, está sempre em busca de nós, cuidando de nossos caminhos. Por quantos caminhos errantes andamos e mesmo assim, sempre Deus está a nossa procura. Veja a parábola abaixo:

JESUS E A CONVERSÃO DOS PECADORES – (Lucas 15:2-7)

     Os fariseus murmuravam contra Jesus, dizendo: “Ele recebe os     pecadores e come com eles”. Então Jesus contou esta parábola: “Qual de vós, tendo cem ovelhas e perdendo uma, não deixa as noventa e nove no deserto para correr atrás daquela que se perdeu até encontrá-la? E quando a encontra, coloca-a com alegria sobre os ombros e, entrando em casa, reúne os amigos e vizinhos e diz-lhes: ‘Alegrai-vos comigo porque encontrei a ovelhinha perdida’. Eu vos digo: assim também haverá alegria no céu por um só pecador que faça penitência”.

Pax et Bonum

Publicado em Animações | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

“Se quiseres tú podes Senhor me dar desta água Viva”

Se quiseres pode. Se quiseres pode me dar nova vida

Se quiseres pode. Se quiseres pode me dar nova vida

Eu lhe pergunto; QUAL É A TUA SEDE? QUAL É A ÁGUA QUE TÚ BEBES?

Se quiseres!

“São tantas Marias aqui, tantos Mateus
Outros Bartimeus, outros até como Zaqueu
Outros como a mulher no poço de Jacó
E outros até pior a dizer:
Se quiseres podes, se quiseres podes
Dar-me nova vida, mudar minha história Todo meu viver
Se quiseres hoje, se quiseres hoje
Terei nova vida se essa água viva
Do teu peito eu beber”

Suely Façanha – Comunidade Católica Shalom

Publicado em Música | Marcado com , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

“A igrejinha de São Damião”

A morte chegando. A morte que vem para libertar. A morte chamada de irmã

De cada riso e dor
De cada espinho e flor
Construo a casa do meu senhor
Com o que o mundo abandonou
De cada pedra do chão
Construo o templo do coração
A cada dia que vem
A cada dia que vai
Ergo em mim a casa de meu Pai.”

Marcus Viana

Publicado em Música | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

“Poema a Virgem Maria”

Poema a Virgem – Padre José de Anchieta
Escrito pelo Padre nas areias da Praia de Iperoig em Ubatuba – São Paulo.

Poema a Virgem - Padre José de Anchieta / Escrito pelo Padre nas areias da Praia de Iperoig em Ubatuba - São Paulo

Poema a Virgem – Padre José de Anchieta / Escrito pelo Padre nas areias da Praia de Iperoig em Ubatuba – São Paulo

“Minha alma, por que tu te abandonas ao profundo sono?
Por que no pesado sono, tão fundo ressonas?
Não te move à aflição dessa Mãe toda em pranto,
Que a morte tão cruel do FILHO chora tanto?

E cujas entranhas sofre e se consome de dor,
Ao ver, ali presente, as chagas que ELE padece?
Em qualquer parte que olha, vê JESUS,
Apresentando aos teus olhos cheios de sangue.

Olha como está prostrado diante da Face do PAI,
Todo o suor de sangue do seu corpo se esvai.
Olha a multidão se comporta como ELE se ladrão fosse,
Pisam-NO e amarram as mãos presas ao pescoço.

Olha, diante de Anás, como um cruel soldado
O esbofeteia forte, com punho bem cerrado.
Vê como diante Caifás, em humildes meneios,
Aguenta mil opróbrios, socos e escarros feios.

Não afasta o rosto ao que bate, e do perverso
Que arranca Tua barba com golpes violento.
Olha com que chicote o carrasco sombrio
Dilacera do SENHOR a meiga carne a frio.

Olha como lhe rasgou a sagrada cabeça os espinhos,
E o sangue corre pela Face pura e bela.
Pois não vês que seu corpo, grosseiramente ferido
Mal susterá ao ombro o desumano peso?

Vê como os carrascos pregaram no lenho
As inocentes mãos atravessadas por cravos.
Olha como na Cruz o algoz cruel prega
Os inocentes pés o cravo atravessa.

Eis o SENHOR, grosseiramente dilacerado pendurado no tronco,
Pagando com Teu Divino Sangue o antigo crime! (Pecado Original cometido pelos primeiros pais)
Vê: quão grande e funesta ferida transpassa o peito, aberto
Donde corre mistura de sangue e água.

Se o não sabes, a Mãe dolorosa reclama
Para si, as chagas que vê suportar o FILHO que ama.
Pois quanto sofreu aquele corpo inocente em reparação,
Tanto suporta o Coração compassivo da Mãe, em expiação.

Ergue-te, pois e, embora irritado com os injustos judeus
Procura o Coração da MÃE DE DEUS.
Um e outro deixaram sinais bem marcados
Do caminho claro e certo feito para todos nós.

ELE aos rastros tingiu com seu sangue tais sendas,
Ela o solo regou com lágrimas tremendas.
A boa Mãe procura, talvez chorando se consolar,
Se as vezes triste e piedosa as lágrimas se entregar.

Mas se tanta dor não admite consolação
É porque a cruel morte levou a vida de sua vida,
Ao menos chorarás lastimando a injúria,
Injúria, que causou a morte violenta.

Mas onde te levou Mãe, o tormento dessa dor?
Que região te guardou a prantear tal morte?
Acaso as montanhas ouvirão Teus lamentos?
Onde está a terra podre dos ossos humanos?

Acaso está nas trevas a árvore da Cruz,
Onde o Teu JESUS foi pregado por Amor?

Esta tristeza é a primeira punição da Mãe,
No lugar da alegria, segura uma dor cruel,
Enquanto a turba gozava de insensata ousadia,
Impedindo Aquele que foi destruído na Cruz.

Mãe, mas este precioso fruto de Teu ventre
Deu vida eterna a todos os fieis que O amam,
E prefere a magia do nascer à força da morte,
Ressurgindo, deixou a ti como penhor e herança.

Mas finda Tua vida, Teu Coração perseverou no amor,
Foi para o Teu repouso com um amor muito forte!
O inimigo Te arrastou a esta cruz amarga,
Que pesou incomodo em Teu doce seio.

Morreu JESUS traspassado com terríveis chagas
ELE, formoso espírito, glória e luz do mundo;
Quanta chaga sofreu e tantas LHE causaram dores;
Efetivamente, uma vida em vós era duas! (Natureza Humana e Divina do SENHOR)

Todavia conserva o Amor em Teu Coração, e jamais
Evidentemente deixou de o hospedar no Coração,
Feito em pedaços pela morte cruel que suportou
Pois à lança rasgou o Teu Coração enrijecido.

O Teu Espírito piedoso e comovido quebrou na flagelação,
A coroa de espinhos ensanguentou o Teu Coração fiel.
Contra Ti conspirou os terríveis cravos sangrentos,
Tudo que é amargo e cruel o Teu FILHO suportou na Cruz.

Morto DEUS, então porque vives Tu a Tua vida?
Porque não foste arrastada em morte parecida?
E como é que, ao morrer, não levou o Teu espírito,
Se o Teu Coração sempre uniu os dois espíritos?

Admito, não pode tantas dores em Tua vida
Suportar, aguentando se não com um amor imenso;
Se não Te alentar a força do nascimento Divino
Deixará o Teu Coração sofrendo muito mais.

Vives ainda, Mãe, sofrendo muitos trabalhos,
Já te assalta no mar onda maior e cruel.
Mas cobre Tua Face Mãe, ocultando o piedoso olhar:
Eis que a lança em fúria ataca pelo espaço leve,
Rasga o sagrado peito ao teu FILHO já morto,
Tremendo a lança indiferente no Teu Coração.

Sem dúvida tão grande sofrimento foi à síntese,
Faltava acrescentá-lo a Tuas chagas!
Esta ferida cruel permaneceu com o suplício!
Tão penoso sofrimento este castigo guardava!

Com O querido FILHO pregado a Cruz Tu querias
Que também pregassem Teus pés e mãos virginais.
ELE tomou para SI a dura Cruz e os cravos,
E deu-Te a lança para guardar no Coração.

Agora podes, ó Mãe, descansar, que possui o desejado,
A dor mudou para o fundo do Teu Coração.
Este golpe deixou o Teu corpo frio e desligado,
Só Tu compassiva guarda a cruel chaga no peito.

Ó chaga sagrada feita pelo ferro da lança,
Que imensamente nos faz amar o Amor!
Ó rio, fonte que transborda do Paraíso,
Que intumesce com água fartamente a terra!

Ó caminho real com pedras preciosas, porta do Céu,
Torre de abrigo, lugar de refúgio da alma pura!
Ó rosa que exala o perfume da virtude Divina!
Jóia lapidada que no Céu o pobre um trono tem!

Doce ninho onde as puras pombas põem ovinhos,
E as castas rolas têm garantia de suster os filhotinhos!
Ó chaga, que és um adorno vermelho e esplendor,
Feres os piedosos peitos com divinal amor!

Ó doce chaga, que repara os corações feridos,
Abrindo larga estrada para o Coração de CRISTO.
Prova do novo amor que nos conduz a união! (Amai uns aos outros como EU vos amo)
Porto do mar que protege o barco de afundar!

Em TI todos se refugiam dos inimigos que ameaçam:
TU, SENHOR, és medicina presente a todo mal!
Quem se acabrunha em tristeza, em consolo se alegra:
A dor da tristeza coloca um fardo no coração!

Por Ti Mãe, o pecador está firme na esperança,
Caminhar para o Céu, lar da bem-aventurança!
Ó Morada de Paz! Canal de água sempre vivo,
Jorrando água para a vida eterna!

Esta ferida do peito, ó Mãe, é só Tua,
Somente Tu sofres com ela, só Tu a podes dar.
Dá-me acalentar neste peito aberto pela lança,
Para que possa viver no Coração do meu SENHOR!

Entrando no âmago amoroso da piedade Divina,
Este será meu repouso, a minha casa preferida.
No sangue jorrado redimi meus delitos,
E purifiquei com água a sujeira espiritual!

Embaixo deste teto (Céu) que é morada de todos,
Viver e morrer com prazer, este é o meu grande desejo”.

 

Publicado em Frases | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

“O perigo que existe nos dias atuais”

A vida de uma sociedade moderna nos traz vários tipos de comodidades que fazem bem a nossa vida, entretanto esta vida moderna também é cheia de compromissos “inadiáveis”. Temos uma agenda diária cheia e isso se torna um perigo para nós leigos quando a mesma não é gerenciada para uma vida cercada em Deus!. Vivemos rodeados de riscos e perigos.

Como viver nesta sociedade que não prega os valores cristãos e mesmo assim ser cristão? É muito fácil trocar o sagrado pelo o que é mais favorável a mim. É muito fácil esquecer dos valores humanos. É muito fácil isto, é muito fácil aquilo…, e aí esta o perigo, esquecemos que somos humanos, que somos a imagem e a semelhança de Deus e deixamos nossos valores e sentimentos de lado. Construímos um abismo entre Deus e nós, perdemos o rumo de nossas vidas e saímos por aí com a sensação de solidão.

Ao nos afastarmos de quem sempre nos amou, nos apoiamos em decisões que em muitas vezes não são boas a nós e aos que vivem ao nosso lado, e aí surgem inúmeros problemas!, que ao se ajuntarem viram uma bola de neve.

Devido a isto, quantas vezes em nossas vidas temos a sensação de que tudo e todos estão contra nós e que a única pessoa que poderia nos ajudar é Deus, e que por alguma razão, nos perdemos Dele e sem mais começamos a nos fechar a sua Graça. Não o ouvimos mais, ficamos cegos e paramos de falar de sua graça.

A coisa já não vai bem e já não O sentimos mais e acabamos nos fechando dentre de nós , muitas vezes cheios de auto piedade, cheios de uma mórbida complacência de nós mesmos. Repelimos a Deus com nossos problemas e com tais sentimentos entramos por uma rota que nos leva a um árido deserto, ali andamos em círculo!!!. Situação idêntica ao povo hebreu que andou 40 anos em círculo atrás da tão sonhada Terra Prometida. Assim como nós, “Povo de Cabeça Dura!”

Deserto

“O nosso deserto é a causa de uma vida sem rumo”

Já ali dentro, esquecidos que temos um Deus que sempre nos guia pelos os melhores caminhos, e tomados pelos mais egoístas sentimentos começamos a murmurar contra a sua graça e a sua presença. Perdemos a relação de Pai e filhos!. E é claro que também que temos a mania de fazer manha!!! pois gostamos de um bom circo e de uma boa dose de atenção extra.

Mas como sair desta sensação desértica, de impotência, de não conseguir fazer nada para resolver tal situação?

Em uma passagem do livro de Oséias 2:16 encontramos;

“Por isso a atrairei, conduzi-la-ei ao deserto e falar-lhe-ei ao coração.”

Deus nos fala no silêncio!!! Deus nos fala ao coração!!!

A primeira coisa a fazer é parar, prestar a atenção, respirar calmamente e voltar o coração a Deus, pois Ele é a presença misericordiosa em nossas vidas. Ele alivia a todos e nos coloca no caminho certo todas as vezes que suplicamos a Ele. Voltar a rezar, voltar a confiar e dizer que sós não somos nada!

Deus também nos atrai ao deserto simplesmente para que tenhamos um contato mais pessoal com Ele. Deus não quer que andemos em deserto, mas em muitas vezes ele nos permite viver em tal situação! pois tomamos decisões erradas e ali, sozinhos, podemos enxergar novamente qual o caminho a seguir, conseguimos ouvir a sua voz de Pastor que também sempre esta a nossa procura. Muitas vezes voltamos ao Senhor pela dor e não pelo amor!

Eu prefiro voltar pelo amor!

Nosso Deus é bom!

Eu não quero mais o deserto para mim!

Enfrentemos as nossas lutas diárias como verdadeiros cristãos a servido de Deus. Sejamos o reflexo de amor Dele por toda a parte, por tudo o que fazemos. Já que vivemos neste mundo, não deixemos ele tomar conta de nós!!!! Sempre reserve parte de seu dia para o Senhor, converse com Ele, reze com Ele, chore com Ele…, viva por Ele!. Faça este “sacrifício”, tenho a imensa certeza que a sua vida será bem melhor com esta companhia!

E lembre-se sempre, não murmures muito em meio ao deserto, pois Deus vem ao seu encontro e te leva até oásis para refrescá-lo!!! basta apenas ficar atento!!! não O deixe passar em meio a tantas lamúrias!

Deserto oasis

“No meio do seu deserto, Deus se faz presente na forma de um Oásis”

Pax et Bonum 

Publicado em Partilhas | Deixe um comentário